Postagens

Versículo da semana:

VERSÍCULO DA SEMANA:
"E por que me chamais: Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu vos digo?" (Lucas 6:46)


Frase do momento

Frase do momento:

"Não é minha intenção atacar o denominacionalismo do cristianismo como errôneo. Eu somente quero dizer que para que o corpo de Cristo encontre uma efetiva expressão local, a base de comunhão deve ser verdadeira. E esta base é a relação de vida dos membros com o Seu Senhor e a sua desejosa submissão a Ele como o Cabeça. Tampouco estou pleiteando por aqueles que irão fazer uma seita carnal daquilo que poderia chamar de 'localismo', isto é, a estrita demarcação de igrejas por localidades. Porque tal pode ocorrer facilmente. Se o que estivermos fazendo hoje em vida se tornar amanhã um mero método, tal que seu próprio caráter alguns dos Seus forem excluídos, possa o Senhor ter misericórdia de nós e quebrar tudo!" (A Vida Normal da Igreja Cristã, capítulo 4. Grifo nosso)

28 de dez de 2011

O mistério da Sua vontade (transcrição da mensagem)

"Desvendando-nos o mistério da Sua vontade segundo o Seu beneplácito que propusera em Cristo." (Efésios 1:9 )
Oração: Senhor, te pedimos que nos dê a sua sabedoria, revelação e sua graça. Muito obrigado por nos reunirmos mais uma vez debaixo do Teu vitorioso nome. Colocamos este tempo diante do Senhor, assim como as nossas vidas diante de sua Palavra. Carecemos de entendimento espiritual. Desejamos tocar não na letra, mas no espírito da Palavra. Por isso abra o nosso entendimento. Desvenda os nossos olhos para que contemplemos a maravilha da Tua Lei. Oferecemo-nos a ti e esperamos toda provisão de Ti mesmo em nome de Jesus, amém.

Efésios 3:8 - A mim, o menor de todos os santos me foi dada esse graça de pregar gentios o Evangelho das insondáveis riquezas de Cristo. E manifestar qual seja a dispensaçao do Mistério, desde os séculos oculto em Deus, que criou todas as coisas. Para que pela Igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida agora, dos principados, e potestades nos lugares celestiais, segundo o eterno propósito que estabeleceu em Cristo Jesus, nosso Senhor.

            Irmãos, nós gastaremos algum tempo nesta epistola de Paulo aos Efésios. Se nós queremos conhecer com substancia da doutrina da Nova Aliança do Novo Testamento, é fundamental que gastemos tempo especialmente com quatro livros do Novo Testamento. Esses livros são: Romanos, Efésios, Colossences e Hebreus. Isso não é aleatório. Esses quatro livros nos darão consistência no entendimento da doutrina do Novo Testamento. Como os quatro pés de uma mesa lhe dão estabilidade, Assim também esses quatro livros nos darão estabilidade no entendimento disso: “O MISTÉRIO DA SUA VONTADE”.
            Por que o livro de Romanos? Porque Romanos é o livro que trata do Evangelho de Deus. O livro de Romanos começa falando do Evangelho de Deus e termina usando essa mesma frase. Paulo termina o livro de Romanos no capitulo 16 dizendo: “Aquele que é poderoso para vos confirmar segundo o meu Evangelho”.
E essa epistola começa com Paulo dizendo que ele pregava o Evangelho que diz respeito a Cristo, o filho de Deus, Rm 1:3-4. O Evangelho de Deus é o assunto de toda epistola aos Romanos. Ele começa mostrando a depravação de todos os homens. E no capitulo três,  é dito que não há justo, nenhum sequer. Não há quem entenda. Não há quem busque a Deus. Todos se extraviaram, todos se corromperam. As suas
gargantas são sepulcros abertos. Da sua língua eles urdem veneno. Desconheceram o caminho da paz. Não há temor de Deus diante dos seus olhos, e por ai vai.
            Paulo começa o Evangelho de Deus em Romanos a partir da depravação do homem. Mas  no capitulo três, ele passa a mostrar a justificação desse homem. Ali ele mostra-nos como Deus nos proveu uma justificação Rm 3:20. Essa justificação é a segunda grande seção desse livro. Ali vemos que Deus nos proveu justificação pelo único caminho possível,  a justificação pela Graça por meio da Fé.
            No capitulo um Paulo sai da depravação total de todos os  homens, quer seja judeu, quer seja gentio, e entra a seguir no assunto da justificação pela graça por meio da fé. Depois Ele  avança para a Santificação, para a nossa união com Cristo na Sua morte e ressurreição no capitulo seis, mas ele não para ai. Prosseguindo ele vai além mostrando que fomos livrado da Lei para podermos viver no Espírito. E nos  explica o que é viver no Espírito no capitulo oito de Romanos.
            Então todo o livro de Romanos tem essa exposição maravilhosa do Evangelho de Deus. Por isso ele é um livro de fundamento. Precisamos conhecer muito bem o livro de Romanos, não apenas a letra de Romanos, mas tocando o que o espírito tem a dizer através de Romanos e da revelação de Romanos. Somente assim vamos conhecer o Evangelho de Deus.
            Na seqüência, vem o livro de Efésios. por que precisamos conhecer o livro de Efésios? Porque Efésios é a grande epistola da Igreja. Ela fala sobre o que é a Igreja. Efésios tem seis capítulos. Os três primeiros capítulos são dedicados a visão da Natureza da Igreja, ou A Visão da Igreja.
O quê é a Igreja segundo o Eterno Propósito de Deus? Para ter essa resposta precisamos muito da ajuda do livro de Efésios. Normalmente chamamos de Igreja aquilo que não é Igreja. Usamos até mesmo o nome Igreja de uma maneira equivocada por não conhecermos a Natureza da Igreja segundo Deus a descreve. Não podemos ter ponto de vista sobre a Igreja que difira do ponto de vista do Nosso Senhor Jesus. Se há uma pessoa que entende de Igreja em todo universo, essa pessoa  é O Senhor Jesus. Quem usou o nome  Igreja pela primeira vez foi Ele. No livro de Mateus capitulo 16 o próprio Senhor disse: “Eu edificarei a Minha Igreja”. Por isso o livro de Efésios é a epistola da Igreja. Os três primeiros capítulos de Efésios falam da VISÃO. Os três últimos falam da VOCAÇÃO. Então, Efésios é um livro de VISÃO DA IGREJA E VOCAÇÃO DA IGREJA.
            O Novo Testamento tem vinte e sete livros, porque destacando esses quatro? O motivo são  esses: “O Evangelho de Deus vemos em Romanos. A Igreja de Deus vemos em Efésios. Em Colossences vemos a Glória do cabeça da Igreja. A Glória do Senhor Jesus, como em nenhum outro lugar no Novo Testamento, com exceção do livro de Hebreus.
O livro de Colossences  dá um descrição da glória de Cristo de maneira muito singular. Então, a epistola de Colossences é uma epistola fundamental para conhecermos a glória da Pessoa de Cristo e da Obra de Cristo, por isso separamos Colossences.
            E por ultimo separamos o livro de Hebreus. Hebreus é um livro de fundamento destacado no Novo Testamento. Hebreus é a epistola que apresenta de maneira muito distinta o Senhor Jesus como Apostolo e Sumo-sacerdote da nossa confissão, e mostra-nos o que isso significa. Sem o livro de Hebreus não poderemos avançar na nossa carreira cristã.
Um dos assuntos chaves do livro de Hebreus é Avanço e progresso. O capitulo seis diz: “Pondo de parte os princípios elementares da doutrina de Cristo, deixemo-nos levar para o que é perfeito”. A palavra “Perfeito” aqui, diz respeito a algo maduro, perfeito, pronto. O livro de Hebreus foi escrito para que nós não permaneçamos como bebês espirituais o tempo todo.
Irmãos permanecerem como bebê, é o grande problema da Igreja hoje. Nós nascemos de novo, amém pela graça do Senhor. Pela graça do Senhor nós cremos no Evangelho. Temos o Senhor Jesus como nossa vida. Temos um relacionamento pessoal com Ele, mas, quanto temos avançado para a maturidade?  Ou quanto de Cristo tem sido formado em nós?
            Precisamos nos preocupar com o quanto de Cristo está sendo formado em nós. Quais são as implicações disso? O que Deus faz em Cristo pelo Espírito,  isso precisa acontecer também em nós.  Qual deve ser  a nossa resposta?  Que Cristo seja formado em nós. Esse crescimento  não é um processo automático. Não podemos confiar que pelo fato de termos nascido de novo e o Espírito Santo habitar em nós, então esse assunto está todo resolvido. O assunto da nossa justificação está resolvido. O assunto da nossa regeneração também está resolvido. O assunto do nosso livramento da condenação eterna também está resolvido. Não há nenhuma condenação para os que estão em Cristo Jesus. Mas o assunto de Cristo ser formado em nós ainda não está resolvido com a nossa regeneração nem com a nossa justificação, nem com o livramento da condenação.
            Para que Cristo seja formado em nós, é necessário um processo diário. Diariamente Cristo deve ser formado em nós. Um exemplo muito claro disso dentre muitos outros é aquilo que Paulo falou aos Gálatas.
Os irmãos da galácia pertenciam a Igreja, eles não eram pessoa do mundo. Mas Paulo ao escrever uma carta para as Igrejas da Galácia ele chama os irmãos de bebês. Em Gálatas 4:19 Paulo diz literalmente assim: “Meus filhinhos (Teknós), que significa filho ainda criança de peito. Meus filhinhos imaturos.
 Há também uma outra palavra para filho conforme o uso do Novo Testamento que é o filho (Ruiós). Esse tipo de filho é o mesmo que  filhos adultos, filhos crescido, filhos que podem assumir uma posição de responsabilidade na Casa de Deus. Filhos que não precisam de outros cuidando deles o tempo todo, mas eles também podem cuidar de outros. Eles são filhos maduros. Filhos bebês e crianças não podem receber responsabilidades. Na verdade, a criança não cuida nem de si mesma, o que dirá de outros.
            Em Gálatas 4:19 Paulo escreve para aquelas igrejas da galácia, naquela região existiam varias igrejas na província. E ele diz assim para eles: “Meus filhinhos por quem eu de novo sofro as dores de parto”. Qual será era o motivo dessas dores de parto que Paulo sentia? Esse versículo termina essa explicação dizendo assim: “ATÉ QUE”. Esse “até que”  quer dizer que Cristo ser formado neles ainda não era um fato real.
Ela eram pessoas convertidos, eram a Igreja de Deus, mas não eram filhos maduros. Eles eram aqueles filhos Teknós, filhinhos de peito e criancinha. Não eram filhos “Ruiós” maduros com conhecimento maduro de Cristo, que podiam receber responsabilidades por outros porque Cristo não estava ainda formado neles. Por esses  filhinhos imaturos, Paulo sofria de novo dores de parto para que Cristo fosse de novo formado neles, Gl 4:19.
Vemos que o assunto da formação de Cristo em nós  não está encerrado com a nossa regeneração ou com o novo nascimento. Nossa história com o Senhor começa com o novo nascimento, mas o desejo do propósito de Deus é formar Cristo em nós. Precisamos ver o que isso significa e por qual caminho isso passa.
“Cristo ser formado em vós”. Esse assunto pode parecer  que está muito distante de nós. E nós podemos fazer essas perguntas:    Eu já nasci de novo, como Cristo pode ser formado em mim agora? Então nós vamos ver por quais caminhos isso passa. Esse assunto nos levará a  passar pela mente de Cristo, pelas afeições de cristo. Precisamos ver como esse caminho acontece pelo Espírito de Cristo, pela Palavra de Cristo, pela providencia de Deus e o que isso significa.
            Com a ajuda do Senhor nós vamos gastar tempo com esse assunto tão importante na Palavra:  “Cristo formado em vós”. Isso é um desafio para todos nós, esse é um chamado de Deus. Nós só temos essa opção para crescermos, e precisamos exercer essa opção. Senão exercermos essa opção,  continuaremos meninos,  continuaremos  bebês, vivendo a vida de reuniões e mais  reuniões, mas não vivendo a Vida da Igreja.
            Será que é uma decisão sábia  continuarmos  a confinar Cristo aos períodos de conferencias, a períodos de ajuntamentos para isso ou para aquilo, a períodos de lazer,  e aos períodos de comunhão uns com os outros e etc? ou vamos  viver a Vida de Cristo, tendo Cristo se formando em nós? Precisamos  viver a vida de Cristo.
            Nós precisamos exercer a nossa opção de Permitir que Cristo seja formado em nós, porque o nosso Senhor não vai nos forçar a isso. Essa deve ser uma opção nossa.  Isso não é compulsório, nós precisamos apenas responder Sim o Não ao Senhor.
            O livro de Hebreus que enfatiza progresso espiritual, cita no capitulo 3: 7  uma passagem de exortação que diz: “Assim como diz o Espírito Santo: Hoje se ouvirdes a Sua voz”. O Senhor sempre está falando conosco a todo tempo, mas a resposta que ele espera é que  Não endureçamos  os nossos corações. Nos capítulos 3 e 4 de Hebreus vamos  porque o Senhor escreveu essa exortação. Para nos explicar, Ele usa como pano de fundo a geração que saiu do Egito e caminhava pelo deserto no tempo que os israelitas peregrinavam pelo deserto.
A primeira geração saiu do Egito pela graça, eles não fizeram algum esforço para sair de lá. Eles não dependeram  da força dos seus braços para sair do Egito. Eles saíram de lá por quê o Senhor Jeová estendeu o Seu braço forte. Antes de saírem o Senhor pediu para eles separarem um Cordeiro. Aquele Cordeiro foi imolado. Aquele  Cordeiro era uma figura de Cristo. O sangue daquele Cordeiro era uma figura do precioso sangue do nosso Senhor. Pedro fala sobre esse resgate  na sua epistola dizendo: “Foste resgatados pelo precioso sangue, não como de Cordeiro, mas daquele Cordeiro sem mácula, o sangue de Cristo”. Quando aquele  povo de Israel saiu do Egito, aquela  saída foi algo que aconteceu pela graça. Ao passarem pelo Mar Vermelho, aquela passagem também foi algo feito pela graça e era um tipo do batismo.
Aquele símbolo do batismo,  Paulo interpretou em 1 Coríntios 10. Paulo disse que eles passaram pelo mar e foram batizados. Então, aquela passagem do mar aponta para o batismo. Nós também já fomos batizados em nome do Senhor Jesus, ou em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. O sangue de Jesus já foi derramado por nós, nós temos convicção que o sangue de Jesus Seu Filho nos purifica de todo pecado. Será que agora a partir de agora não precisamos ainda de mais nada? Será que podemos  fechar esse assunto?
O livro de  Hebreus diz que aquele povo que saíu do Egito pelo valor do sangue do Cordeiro, eles passaram pelo mar, eles entraram no deserto. Mas o capitulo 3 Diz que eles não puderam entrar na Terra da Promessa de Canaã. Então, faltou algo para  eles.
            Mas o chamado de Deus para eles era para quê? Será que era para eles terem apenas o beneficio do sangue? Será que era só para que eles passassem pelo mar? Não. O objetivo de Deus para eles era que entrassem em Canaã. Na terra de Canaã era o lugar onde eles desfrutariam das riquezas insondáveis de Cristo. A Terra de Canaã é ima figura  da plenitude de Cristo.  Aquele povo, saiu do Egito com um propósito,  o propósito não era morrer no deserto. Hebreus 3 diz que eles não puderam entrar na terra que Deus tinha separado para eles. Essa terra era só uma figura da plenitude de Cristo.
Hoje na era da graça, Deus anela que a Igreja chegue à Plenitude de Cristo. Chegar a Plenitude de Cristo. É alcançar  a Maturidade em Cristo. É  ter Cristo formado na Igreja. O povo de Israel não pode entrar e o motivo está em Hebreus 3: 19 que diz: “Vemos, pois que não puderam entrar por causa da incredulidade.
Aquele povo teve o beneficio do sangue do Cordeiro. Teve  o beneficio do poder de Deus. Teve  o beneficio da libertação, mas não atingiram Canaã, não atingiram a plenitude do propósito de Deus que era de entrar em Canaã”. Faça agora uma pergunta para você mesmo, isso pode acontecer conosco hoje? Responda: Sim ou Não. A Bíblia dá essa resposta independente daquilo que eu ou você acha.
Qual é a resposta que a Bíblia dá para essa questão  O capitulo 4 de Hebreus diz: “Temamos, portanto irmaos, que, sendo deixada a promessa de entrar no descanso de Deus, suceda parecer que alguns de vós tenha falhado”.
O verso 2  mostra-nos o motivo da falha daquele povo. Ele diz assim: “porque também a nós foram anunciadas as boas-novas, como se deu com eles; mas a Palavra que ouviram não lhes aproveitou, visto não ter sido acompanhada pela fé, naqueles que a ouviram”.  Então, qual é o problema? será que o problema está na Palavra que eles ouviram? Por acaso pode haver algum problema com a Palavra de Deus? Será que a Palavra de Deus foi  insuficiente para introduzi-los na boa terra de Canaã? Será que a Palavra de Deus foi incapaz?
O versículo 12 do capitulo 4 de Hebreus mostra que não existe nenhum problema com a Palavra de Deus porque Ela é Viva e Eficaz. Hebreus 4: 12 diz: “Porque a Palavra de Deus é Viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração”. A Palavra de Deus é Viva e Eficaz, não tem nenhum problema com Ela, o problema era com eles, o povo de Israel. Se o problema não está na Palavra que ouviram, então ele está com o povo e está conosco hoje.  Em Hebreus 4:2 diz que a Palavra que eles ouviram  não lhes aproveitou, porque? Porque não foi acompanhada com a fé. Ela  não foi misturada com a fé, naqueles que A ouviram.
Vou usar uma figura para nos ajudar a entender isso. Antigamente tinha um material que os dentista usavam para obturações de dentes. Ele era de cor escuro, aspecto feio e era chamado amalgama de prata. Por um lado o dentista tinha  uma liga de prata que era  um metal em pó. De outro lado ele tinha o mercúrio, também um metal. Enquanto esses dois materiais estavam  separados,  nada acontecia, mas no momento em que misturava um com o outro, eles se tornavam uma só coisa, uma liga de chamada amalgama. O amalgama só ocorria quando fossem  misturados os dois materiais. O livro de Hebreus diz que a Palavra que aquele povo ouviu não se lhes aproveitou porque não foi misturada com a fé. A Palavra não foi  amalgamada com a fé naqueles que a ouviram.
Voltando a historia do dentista, quando ele mistura aquela limalha com aquele mercúrio, ele tem no máximo sete minutos para realizar o trabalho de restauração do dente do cliente. Ele tem apenas sete minutos para  colocar o dente  em condições de funcionar na mastigação do cliente. Se o dentista não fizer o seu trabalho de restauração dentro desse tempo, aquele material que foi misturado não se aproveita mais porque ele endureceu como uma rocha. Essa é a figura que o livro de Hebreus quer nos mostrar. O povo  ouviu a Palavra, mas não misturaram essa Palavra com  fé.
O que é Fé? Como é que o Bíblia define fé? Fé é ato de  crer, é unir-se A. Crer é união. Quando a Palavra veio sobre eles, eles não uniram os seus corações a Palavra, então a Palavra apenas passou por eles como uma chuva em solo cimentado. Por isso nenhum coração absorveu a Palavra ouvida. Ela bateu nos corações deles e escorreu. Por isso  a Palavra que ouviram não lhes aproveitou porque não foi agarrada, misturada com a fé naqueles que a ouviram. Esse é o tema do capitulo três e quatro de Hebreus.
Amados Irmãos, se essa questão de misturar a Palavra com a fé não fosse uma situação de risco, o Senhor não teria dado essa epistola de Hebreus tão esclarecedora quanto ao Propósito Eterno de Deus para nós. Não teria motivo nenhum de haver o livro de Hebreus se esse assunto  não fosse algo preocupante. Se fosse assim, poderíamos viver nossa vida de qualquer maneira,   achando que o céu  está garantido para nós, e está mesmo. Se crermos no Senhor Jesus é para lá que nós vamos, mas o propósito de Deus não está ligado ao céu. O propósito de Deus está ligado a Plenitude de Cristo formada em nós.
O propósito de Deus não é o céu. Salvação não é seguro contra incêndio, nós não fomos livrados pelo sangue de Cristo só para não queimarmos no fogo do inferno, é muito mais do que isto. O Senhor nos chamou para a Plenitude de Cristo. Será que nós temos ouvidos para ouvir isto? Será que temos respondido e correspondido a isso conforme está em Hebreus 3:7? Não endureçais os vossos corações.
O Senhor falou dessa maneira também para as sete igrejas do Apocalípse. Como é que o Senhor termina cada uma daquelas cartas que foram dirigidas as Igrejas e não para o povo do mundo? “Quem tem ouvido ouça o que o Espírito diz as Igrejas”. O Senhor não está  falando isso para o mundo, Ele está falando para a Igreja. Então a questão é conosco mesmo. Nós temos ouvido o Senhor ou estamos satisfeitos com o que já ouvimos?
Às vezes ficamos pensando que pelo fato de o Sangue de Cristo  já ter sido  derramado por nós, e  Graças ao Senhor por isso. Pelo fato de já termos recebido o Senhor Jesus. Pelo fato de ter  sido  perdoados os nossos pecados e estarmos livres da condenação. Pelo fato de sabermos que vamos estar com o Senhor quando eu morrer”. Isso é suficiente e essa tem sido a sua, a minha e a nossa satisfação. Mas A Palavra de Deus vem a nós e dá um NÃO absoluto para esse tipo de satisfação.
O Propósito Eterno de Deus é que Cristo seja formado em nós. Se Cristo não for formado em nós, não teremos jamais o Testemunho de Cristo. Não teremos a realidade de Cristo. Então a grande exortação do Novo Testamento para nós é  que  sigamos para o alvo até que Cristo seja formado em nós.
A epistola aos Efésios  nos ajuda entender esse assunto. Precisamos orar para que  Efésios 1:9; 3: 8-10 seja a nossa realidade. Que o Senhor nos ajude pela iluminação do Seu Espírito a tocar não a letra, mas na realidade espiritual de tudo isso que  estamos lendo. A primeira palavra do verso 9 de Efésios 1,  diz assim: “DESVENDANDO-NOS”. Então, está muito claro e obvio o que essa palavra significa DESVENDANDO-NOS e o que ela quer dizer. Desvendar significa tirar a venda, tirar o véu. Em outras palavras, ela significa “Revelação”.  Revelar é tirar o véu.
No verso 17 desse mesmo capitulo é usada essa mesma expressão. Ali naquela oração de Paulo ele diz: “Que o Deus do nosso Senhor Jesus Cristo, O PAI DA GLÓRIA”. Ele é o Pai da glória porque somente Ele pode nos conceder o Espírito de sabedoria e de revelação.
Irmãos, para termos um melhor entendimento, devemos buscar mais textos na Palavra de Deus onde está escrito a Palavra REVELAÇÃO. Essa é uma maneira preciosa de se estudar a Bíblia. Então, ao examinar cada uma  onde está escrita a palavra  “Revelação”  teremos uma visão mais ampla do que é Revelação porque quem está usando a palavra na Bíblia é o Espírito Santo, não é o autor do livro. O Espírito Santo é o inspirador e o soprador da Palavra.
As Escrituras foram sopradas por Deus. Quando você percebe a maneira como o Espírito Santo usa uma palavra, verás  que Ele está estabelecendo um princípio, uma regra para todas as demais em toda a Bíblia. Isso é o que essa palavra REVELAÇÃO significa para  o Espírito Santo. Se olharmos a palavra REVELAÇÃO, vamos chegar a conclusão que nós não alcançamos revelação por nós mesmos, mas  Deus é quem nos dá REVELAÇÃO. Quando Deus nos dá Revelação, esse ato é de Deus. Ele  abre para nós como que uma janela onde podemos contemplar a realidade do mundo espiritual, não de maneira mística, nem de maneira suspensa no ar. Mas a Revelação que está contida na pessoa e Obra de Cristo.  Cristo é a realidade espiritual.
Revelação é algo grandioso. Sem revelação não chegaremos a lugar nenhum. Revelação é um privilegio, mas também  é um motivo de busca. É por isso que Paulo ora pelos irmãos em Éfeso, pedindo que o Deus e Pai do nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória  conceda essa revelação aos Efésios.
 Paulo começa a sua epistola, como se ele estivesse dizendo aos irmãos: Irmãos, “Se o Deus do nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória não vos abrir essa janela de Revelação, certamente não vereis nada do propósito eterno de Deus. Por isso eu oro para que Ele vos conceda espírito de sabedoria e de revelação. Por isso que o verso nove diz: “Desvendando-nos o Mistério da Sua Vontade”.
Queridos irmãos, o nosso coração precisa estar cheio do temor do Senhor. nenhum de nós é especialista no assunto Revelaçao. Todos nós somos carentes de revelação. Que o Senhor rasgue o véu progressivamente em cada reunir do povo de Deus. Essa deve ser a nossa oração. Nós não estamos aqui nesta terra para perder tempo com muitas outras coisas. Nós não estamos aqui para entretenimento. Não estamos aqui interessados a ver pessoas, o que nós queremos é ver o nosso Senhor em Sua Palavra. Mas isso só vai ser possível se o Senhor nos der Espírito de sabedoria e de revelação.
Tocar a letra é muito fácil, você pode estudar a Bíblia como se estuda um livro de física, mas não obterás nenhuma revelação dela. Precisamos  que o Espírito Santo rasgue o véu para que possamos ver quem é o nosso Senhor Jesus. O que é a Igreja aos Seus olhos em toda a realidade espiritual. Precisamos receber revelação da carreira, da jornada cristã segundo os olhos do Senhor. não segundo o que nós achamos, nem segundo os nossos olhos.
Por isso Paulo começa essa epistola no verso 9 de Efésios 1, mostrando que Ele não está perdido no nada, mas ele vem de um contexto que começou lá no verso 3. Do verso 3 até o verso 14, é uma passagem que tanto no original grego, quanto aqui na nossa versão em português não há nenhum ponto final entre esse nove versículos, eles são separados apenas por virgulas, você percebeu isso?
Como é que esse homem de Deus chamado apóstolo Paulo poderia escrever esse texto dessa forma se não fosse inspirado pelo Espírito Santo? Esse texto é como uma cachoeira jorrando água sem parar. Neles ele fala de tremendas verdades espirituais uma atrás da outra sem parar nenhum em nenhum ponto desde o verso três até o verso 14. se você tentar ler esse texto num fôlego só, irás se cansar. Mas foi assim que ele escreveu, num fôlego só, colocando apenas virgulas entre os versículos sem nenhum ponto.
O que Paulo  fez nessa seção, é um jorrar de revelações. No verso 4 ele revela a nossa eleição dizendo:  “Ele nos escolheu em Cristo antes da fundação do mundo”. Esse é o inicio dessa cascata de revelação. Ela começa lá no alto, na nossa eleição e vai descendo até o verso 14.  O Senhor Deus nos escolheu pela Sua graça soberana. Lembra-se do que Ele falou para os Seus discípulos? “Não fostes vós que  escolheste a mim, mas Eu escolhi a vós”.
Então Paulo começa essa cascata ai dizendo: “Bendito Deus e Pai que nos escolheu em Cristo. Deus nos elegeu em Cristo antes da fundação do mundo. Depois em Efésios 1: 5, Paulo fala da nossa predestinação, mas o que é Predestinação?  Isso indica que aqueles que Deus escolheu, os destinou antecipadamente para alguma coisa. O que significa essa predestinação? Essa verdade é umas das verdades muito mal compreendida pelo povo de Deus. A maioria entende a predestinação  de forma muito estranha. Para eles a predestinação  é como uma visão de cartas marcadas, mas predestinação não tem nada a ver com isso. Predestinação tem tudo a ver com o Propósito Eterno de Deus.
Deus nos predestinou  para um propósito, não como um marcar de cartas de antemão como se uma carta fosse escolhida para ir para o céu e a outra fosse escolhida para ir para o inferno. Essa não é a predestinação do coração de Deus. A predestinação de Deus não está ligada com nada disso, ela está totalmente ligada com o Propósito Eterno de Deus.
Se lermos o livro de Efésios ou o livro de Romanos vamos ver esse propósito de Deus. Romanos 8: 29 diz: “Ele nos predestinou para sermos conforme a imagem do Seu Filho”. A predestinação é para isso, sermos conformes a imagem do Seu Filho. A predestinação não é para predestinar uns para o céu e outro para o inferno como muitos falam por ai. Se você também pensa assim, estás tendo uma compreensão equivocada de predestinação de Deus, porque predestinação tem a ver com o propósito de Deus. Deus nos predestinou para sermos conformes, isto é: Para tomarmos a forma do Seu Filho, para que o Seu Filho seja o primogênito entre muitos irmãos. Predestinação é isso.
Em Efésios 1: 4 também vamos encontrar a Predestinação, ali  diz: “Nos predestinou para Ele, para a adoção de filhos”. Essa palavra “Adoção” talvez  conste na maioria das versões bíblicas. A palavra adoção no grego é Huióstezia”. Filho Huiós significa um filho maduro, um filho adulto que pode entrar numa posição de responsabilidade. Alguém, que pode expressa o caráter de Cristo. Mas a palavra Tecknós diz respeito a um filho bebê, um filho criança. Não podemos dizer que uma criança tem caráter. Criança não tem caratê porque o caráter é fruto de uma longa formação. Um caráter precisa ser formado. O  filho maduro tem caráter porque algo foi formado nele pouco a pouco durante muito tempo. A Criança age por instinto e por impulso. Ela tem personalidade, mas não tem caráter. Caráter é fruto de disciplina.
Cristo ser formado em nós é fruto da disciplina de Deus. Por isso Efésios 1: 4 diz que fomos predestinados para a adoção de filhos. Fomos predestinados  para a Huióstesia. E Huióstesia significa sermos colocados na posição de filhos maduros. O termo “Adoção de filhos” também é um termo que compreendemos errado porque o comparamos com o contexto da cultura do povo do mundo ocidental. Aqui no ocidente, o que é adoção de filhos para nós? Não é adotar  o nosso próprio filho, mas é adotar filhos de outros, ele é um filho que não geramos. É um filho  que não são participantes da nossa natureza. Então, trazemos aquela criança que não foi gerada de nós para dentro da nossa família e a adotamos. Mas, não é essa a idéia de adoção que está escrita aqui na Bíblia, porque a palavra aqui é: “Huióstesisia”.  Huióstesia  é ser um filho legítimo que foi posicionado numa responsabilidade. É  entrar numa condição de filho maduro.
Em que sentido essa palavra foi usada pelo Espírito Santo aqui na Bíblia? Ela foi utilizada no sentido do padrão das famílias orientais daquela época. No contexto bíblico, adoção é  uma cerimônia que acontecia quando o  filho mais velho de uma família era colocado pelo seu pai numa posição de responsabilidade para cuidar de todos os assunto da família a partir daquele momento.  Esse folho agora estaria representando o seu pai, ele passaria a gerenciar todos os assuntos e negócios do pai. Ele a partir desse momento  responderia pela sua  família. Então, quando o filho mais velho atingia essa maioridade, havia uma cerimônia familiar,  essa cerimônia era chamada de huióstesia.
Aquele menininho que antes vivia agarrado na barra da saia de mamãe, a partir de agora passaria  a ser um filho huiós. Ele responderia pela família. Ele  representaria a família. Ele gerenciaria todas as coisas da família. Vejam a importância disso.
Efésios diz: “Ele nos predestinou para a adoção de filhos”. Como é que você entende agora esse versículo? Agora mudou tudo não é? Mas foi exatamente para isso que o Senhor nos adotou. O nosso Senhor Jesus nos ama, mas Ele não tem nenhum prazer que permaneçamos bebezinhos de peito o tempo todo. O viver de um bebê é um viver  sem caráter, sem responsabilidade. Ele é agitado de um lado para o outro lado. Ele é levado pra todo lado por todo vento de doutrina. Ele buscando saber o que estão pregando de mais moderno por ai. Ele procura saber qual é a mais nova unção do momento e qual é o novo mover ou o atual mover. Ele gosta de  ouvir somente o profeta mais famoso da hora. Tudo isso é atitude de irmãos bebês, de meninos agitados de um lado para o outro de meninos  levado ao redor por todo vento de doutrina.
 Ef 4: 14-17, diz: “Para que não sejamos mais meninos agitados de um lado para o outro, como meninos de peito, criancinha que não tem discernimento, não tem caráter de Cristo formados neles. Por isso fomos predestinados para adoção de filhos”.
Efésios 1: 7 diz: “No qual temos redenção”, essa é mais uma maravilhosa benção  espiritual como estão  citadas no verso 3: “Toda sorte de benção espiritual”. Quais são essas bênçãos? São a eleição, predestinação, redenção pelo Seu sangue. Estamos falando tudo isso para chegarmos aqui no verso 9, que é o verso que estamos destacando. “O DESVENDANDO-NOS”, É para que nós vejamos. Esse desvendar é uma das maravilhosas bênçãos espirituais que nós temos em Cristo Jesus.
Bendito o Deus e Pai que nos tem abençoado com toda sorte de bênçãos espirituais nas regiões celestiais em Cristo. Quais são essas bênçãos espirituais? A Primeira é que, Ele nos escolheu Nele. A segunda benção, é que Ele nos predestinou para Ele para adoção de filhos, para a maturidade espiritual. A terceira benção, é que Ele nos Redimiu  pelo Seu sangue. A quarta benção, é que Ele nos Revelou o Mistério da Sua vontade. Temos que colocar essa maravilhosa benção junto com as outras.
Deus não nos chamou para sermos um povo cego. Já fomos redimidos, fomos purificados pelo Seu precioso sangue, mas ainda não está bom, Ele nos abençoou com mais uma benção: DESVENDANDO-NOS. Ele desvendou o segredo de Deus. E o livro de Efésios chama esse segredo de mistério de Deus. Esse mistério  não é mais uma caixa preta misteriosa, Ele desvendou, rasgou o véu e nos revelou qual é o Seu eterno propósito.
Se Deus tem um eterno propósito, esse assunto  é relevante. Deus tem um eterno propósito e nós precisamos conhecê-lo para que possamos avançar, caminhar e responder ao Senhor. Se o nosso amado Pai, em Cristo Jesus estabeleceu um eterno propósito, então a nossa vida vai  ser desgovernada, se não conhecermos esse eterno propósito de Deus. Sabe qual será a nossa vida sem conhecer esse eterno propósito? Vamos viver somente o que é periférico, e não o que é central.
Estará bom demais para alguns o fato do Senhor Jesus ter perdoado os seus pecados. De estarem livres da condenação. Isso é o suficiente e estará muito bom para eles sabe porque? Porque eles não conheceram e nem tocaram no propósito eterno de Deus.
Mas se pela graça do nosso Senhor, Ele rasgar o véu e nos conceder espírito de sabedoria e de revelação, irmãos, a nossa vida não será mais a mesma no sentido de escolher a nossa própria opção. A visão nos ganha a ponto de nos amarrar.
Quando Paulo descreve sua visão Ao rei Agripa. Quando estava dando testemunho da experiência de vida ao rei já no final da carreira como homem de Deus. Ele então resume a sua carreira  com uma frase e conclui  o seu testemunho. Ele diz assim em At 26: 19: “Pelo que ó rei Agripa, eu não fui desobediente a visão celestial”.
Paulo  citou “A VISÃO CELESTIAL”  no singular porque ele não teve muitas visões, ele teve apenas uma visão. Paulo  não teve visão disso, visão daquilo, visão daquilo outro, ele teve somente uma visão. Ele só teve A Visão Celestial.
Temos diante de nós uma carta que foi escrita por este apóstolo. Esse que falou para o rei Agripa que não foi desobediente A Visão Celestial. Se quisermos saber qual é A Visão única, preciosa e capaz de gerenciar a nossa vida governar nossa vida, nos dar direção, rumo, ordenar a nossa vida. Precisamos receber essa Visão Celestial. Jamais poderemos viver de uma maneira que honre a Deus na nossa família, se não tocarmos no propósito eterno de Deus.
Muitos homens vivem de maneira respeitosa, vivem  uma vida digna. Vivem  uma vida de bom cidadão  na sociedade porque neles há  um pouco de moral. Mas esse tipo de viver, esse tipo de padrão de vida não responde nem corresponde ao eterno propósito de Deus. Somente por revelação e  a não ser que haja revelação. Nós não fomos chamados para vivermos simplesmente como bons cidadãos, bom cidadão muita gente é, mas nós fomos chamados para responder ao eterno propósito de Deus em Cristo Jesus. Então, o que significa o Eterno Propósito de Deus? Quais são as suas implicações? Essa epistola de Efésios mais do que qualquer outra  vai abrir esse assunto para nós.
Efésios 3: 2 diz assim: “Se é que tendes ouvido a respeito da dispensaçao da graça de Deus a mim confiada”. Esse querido irmão Paulo disse ao rei Agripa: “Eu não fui desobediente a Visão Celestial”. Esse homem Paulo, usado pelo Espírito, chama essa visão de DISPENSAÇAO. A palavra dispensaçao é Economia. Paulo ao citá-la, ele se vê como um mordomo diante de uma economia, e de uma dispensaçao. Ele é o despenseiro dessa economia, e dessa dispensaçao. Essa dispensaçao foi confiada por Deus a ele.
Efésios 3:3 continua dizendo: “Pois, foi segundo uma REVELAÇÃO”.  Paulo era uma pessoa extremamente moral mesmo como homem natural, e mesmo antes de conhecer o Senhor. em Filipenses 3 ele diz que: “Quanto a justiça que há na Lei, eu era irrepreensível”. Então,  porque Deus foi  incomodar esse homem irrepreensível e de moral tão elevada? Esse homem era alguém  maravilhoso. Quanto a justiça que há na lei ninguém podia colocar o dedo no nariz dele e dizer: Você fez isso ou aquilo de errado porque Paulo era irrepreensível.
Assim, vemos que o chamado de Deus não tem nada a ver com o  nível que está o padrão do homem. O Senhor encontrou esse homem lá na estrada de Damasco, derrubou esse homem e revelou para ele algo que estava alem do seu alcance. E esse algo que Deus revelou, Paulo chama de “O ETERNO PROPÓSITO DE DEUS”. Sabe o que aconteceu com Paulo depois disso? Ele se entregou a esse propósito de todo o seu coração. Na verdade ele não fez isso por opção, mas ele foi conquistado (amarrado) por essa visão, essa foi  palavras dita por ele mesmo em Filipenses 3.
Em Filipenses 3 Paulo fala assim: “Prossigo para o alvo, para o premio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. Prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus”.
Queridos irmãos, será que nós também podemos dizer essa mesma frase diante do Senhor? nós somos pessoas conquistadas? Sabe o que o Senhor deseja ouvir de nós? Sinceridade. Se não somos pessoas conquistadas pelo Senhor precisamos orar ao Senhor sobre esse assunto. Devemos dizer a Ele: “Senhor, eu não sou um filho conquistado. Sei que sou Teu pela graça, sei que pertenço a ti, e isso me traz prazer, descanso, segurança e muito mais, mas eu não sou um conquistado por Ti. Eu ainda não prossigo para conquistar aquilo que me conquistou”.
Paulo era alguém que prosseguia em conquistar o Senhor para ter crescimento de Cristo. Ele desejava ardentemente que Cristo fosse formado nele, por isso prosseguia para conquistar aquilo que o conquistou. Paulo queria ganhar a Cristo e ser achado Nele. É sobre isso que ele está tratando aqui no livro de Efésios. Esse eterno propósito de Deus ganhou e amarrou  Paulo.
Se formos avançando no livro de Efésios, do capitulo 3 para o capitulo 4, do capitulo 4 para o capitulo 5, e do capitulo 5 para o 6, sabe onde vamos chegar? Na vida Famíliar, no viver familiar. Ali o Senhor fala para o marido amar a sua mulher. Isso é uma coisa maravilhosa. O Senhor está mostrando que esse Eterno Propósito do capitulo 1 de Efésios não é uma coisa mística, perdida no ar, intocável  e inatingível. Aqui o Senhor está dizendo que quando no Eterno Propósito o Espírito Santo rasga o véu, pela misericórdia Dele, e nós recebemos revelação do que isso é, essa revelação  afetará toda a nossa maneira de viver e de ser.
Em Efésios 5 o Senhor diz para os maridos: “Maridos, amai vossas mulheres”. Mas o Espírito Santo não parou ai no “amai vossas mulheres. Sim, amar a sua mulher é isso mesmo que os maridos devem fazer”. Mas, Espírito Santo mandou amar como Cristo amou a Igreja. Você está vendo as implicações?
Nenhum marido poderá amar a sua esposa como Cristo amou a Sua Igreja, a não ser que ele seja alguém conquistado por Cristo Jesus. Do contrario, ele pode viver uma vida tranqüila, respeitosa, amigável, companheira com sua mulher, mas isso não significa responder aquilo que o Eterno Propósito de Deus requer dele, porque o que o Espírito Santo  deseja para nós é muito mais do que isso.
A vida da Igreja não começa pelos  assuntos práticos de Efésios capítulos 4, 5 e 6. A Bíblia não é um livro de moral, mas a Bíblia  é um livro espiritual que afeta o moral, mas ela e totalmente espiritual. Não vamos colocar os carros na frente dos bois. Vamos começar pelo começo. A Vida da Igreja começa por Efésios capítulos 1, 2 e 3. Sem ter a Visão desses três primeiros capitulo de Efésios, não tem como viver os últimos três capítulos.
Um irmão certa vez disse assim: “Na vida cristã, e na visão cristã, o mais importante é colocar o mais importante como sendo mais importante”. Isso é o que precisamos  fazer, sempre. O que é central tem que ser colocado no centro, porque é central. Mas aquilo  que é periférico, temos que colocá-lo na periferia, porque é periférico. E se tem algo que é central na vida da Igreja, esse algo central é O ETERNO PROPÓSITO DE DEUS.
Vamos com a ajuda do Senhor procurar olhar algo sobre esse Eterno Propósito em Efésios 3: 3 que diz: “Segundo uma revelação, me foi dado conhecer o Mistério, conforme escrevi a pouco resumidamente, pelo qual quando lerdes, podeis compreender o meu discernimento no Mistério de Cristo. O qual em outras gerações não foi dado a conhecer aos filhos dos homens”. Que geração é esse citada aqui por Paulo? São aquelas dos tempos do Velho Testamento. No Velho Testamento, tudo era tipos, sombras, alegorias, e figuras, mas não havia realidade. A realidade veio na pessoa do nosso Senhor Jesus. Ele disse: “Eu sou o Caminho, a Realidade e a Vida”. O Verbo se fez carne e tabernaculou entre nós cheio de Graça e de Realidade, ou Verdade. Foi o próprio Senhor Jesus quem trouxe a Realidade, Ele mesmo fez isso. Ele trouxe quem Ele é. Sua pessoa, Sua Obra, Seu propósito e é Nele que nós vemos o Eterno Propósito de Deus.
Efésios 3: 5 diz que às outras gerações não foi dado a conhecer como agora. Esse agora, são os tempos do Novo Testamento. Quando o Espírito Santo veio habitar na Igreja e rasgou o véu para que nós pudéssemos conhecer o Eterno Propósito de Deus por revelação, porque o Espírito Santo foi derramado para habitar na vida da Igreja.
O que foi que o Senhor Jesus falou sobre Ele antes Dele vir? Ele disse que Ele era o Espírito da Verdade, ou da Realidade. É por isso que João toma a palavra verdade nos seus escritos. Tome cuidado com, essa palavra: “Verdade”, não contrasta  com a palavra falsidade. Ela não é o antônimo de falsidade. No Evangelho de João, a palavra: “Verdade” significa Realidade. Ela é antônima de: “Sombra, ou figura”. Lá no Velho Testamento ela era figura, sombra sem substancia, mas no Novo Testamento, Ela tem Substancia, tem Realidade.
O Senhor Jesus disse que o Espírito Santo é o Espírito da Realidade, e Ele nos guiaria a toda Realidade, porque Ele rasgaria o véu para nos dar revelação da Realidade espiritual, graça ao Senhor pelo bendito consolador que veio habitar em nós, o Espírito de revelação como fala em Efésios. Espírito de Sabedoria e de Revelação.
Revelado aos seus santos apóstolos e profetas no Espírito. A saber, que os gentios são co-herdeiros, membros do mesmo Corpo e co-participantes da promessa em Cristo Jesus por meio do Evangelho. Aqui, Paulo escrever de maneira rápida e resumida sobre o que é esse Mistério. Esse mistério é a Igreja, com gentios e judeus membros do mesmo Corpo. Essa descrição é muito resumida, Paulo vai usar na verdade a epistola inteira para falar desse mistério.
Efésios 3: 7. “Do qual fui constituído ministro. (A palavra ministro significa um servo), conforme o dom da graça de Deus, a mim concedida, segundo a força operante do Seu poder”.
Agora, vamos tomar cuidado nesses versos seguintes de 8-11 com bastante atenção. “A mim, o menor de todos os santos me foi dada esta graça, de pregar aos gentios o Evangelho das Insondáveis riquezas de Cristo”. Esse é o Evangelho. O Evangelho não pe simplesmente uma mensagem que anuncia que os nossos pecados foram perdoados. Que nós nascemos de novo, pela ação do Espírito e pela Palavra. O Evangelho, anuncia, proclama, manifesta as Riquezas Insondáveis de Cristo. Isso vai muito alem de perdão de pecados, de justificação, de regeneração, por mais maravilhoso que isso tudo seja e é, mas há muito mais. Por isso Paulo chama de Insondáveis Riquezas de Cristo, isso é o Evangelho.
Efésios 3: 9. ”E manifestar, qual seja a dispensaçao do Mistério”. Manifestar qual seja a Dispensaçao. Como que esse Mistério então é manifestado? Efésios 3: 8 vai explicar que esse Mistério é manifestado, ou é dispensado quando o Evangelho é pregado. Seria bom se os irmãos unisse essas duas coisas, sabe porque? Porque nós reduzimos o Evangelho a muito pouca coisa, nós limitamos o Evangelho. Parece que pregar o Evangelho significa dizer que Deus no Seu amor enviou o Seu filho, que se fez carne e habitou entre nós. Ele foi a cruz, realizou a obra de redenção. Enviou o Seu Espírito para que fossemos perdoados. Para que nos desse vida em Seu nome. Amém por tudo isso, mas o Evangelho é mais, é mais e é muito mais que isso. Por isso que Paulo o chama de Evangelho das Insondáveis riquezas de Cristo.
Não vamos limitar a pregação do Evangelho a essa pregação de ímpios, mas a pregação do Evangelho das Insondáveis riquezas de Cristo, leia de novo os versículos. Não tem como fugirmos disso. Quando o Evangelho é pregado, o Mistério é manifestado. Mas qual Mistério? As Insondáveis Riquezas de Cristo.
Efésios 3: 10-11. “Para quê”, esse para quê é o propósito de tudo isso que falamos. Para que pela Igreja. Agora o Senhor nos incluiu, aqui está o nosso privilegio. Para que o caráter de Cristo seja formado e visto em nós, precisamos avançar da regeneração para a formação de Cristo em nós. Crescendo na graça e no conhecimento de Cristo Jesus nosso Senhor. crescei na graça e no conhecimento. Que o Espírito Santo nos tire do nosso ninho confortável. Muitas vezes presunçoso, orgulhoso daquilo que sabemos, conhecemos, que já vimos, já lemos, já estudamos. Mas o quanto de Cristo foi e está sendo formado em nós? Quanto da mente de Cristo, quanto das afeiçoes de Cristo, quanto do caráter de Cristo está sendo formado em nós, essa é a questão.
Os principados e potestades não se incomodam com o nosso conhecimento intelectual. O nosso conhecimento intelectual não significa nada para eles. O que eles se incomodam é de ver Cristo formado na Igreja, isso os incomoda. Sabe porque? Porque é através da Igreja, não sem a Igreja, e Deus quis assim. Que através da Igreja, a vitória de Cristo sobre eles os principados e potestades seja manifestada.
Paulo ao escrever Romanos 16 ele fala assim: “Em breve, o Deus da Paz esmagará a Satanás debaixo dos vossos pés. Isso é algo tremendo, não é irmãos? Deus vai fazer isso pela Igreja, por isso nos chamou para participar desse esmagamento de satanás. Mas isso não acontecerá, a não ser que Cristo seja formado em nós. A não ser que nós avancemos em manifestar o Caráter de Cristo em nós”.
Veja a luta, a peleja o Espírito Santo agora. Viu por que o livro de Hebreus é tão forte dizendo: Se hoje ouvires a Minha voz, não endureçais os vossos corações. A Palavra ouvida, misture-a com a fé, agarre-se a Ela para que então possamos avançar e o Propósito de Deus possa ser cumprido em nós. Precisamos entender a peleja do Espírito Santo, porque o Senhor Jesus não fará isso sem a Igreja. Ele fará isso na Igreja, para que pela Igreja a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida.
Como termina o versículo 11 de Efésios 3? “Segundo, de acordo, conforme O ETERNO PROPÓSITO, que Deus estabeleceu”. Você ache que se Deus estabeleceu alguma coisa alguém pode resistir aquilo que Ele estabeleceu? Jó certa vez disse assim para Deus no capitulo 42 do seu livro: “Nenhum dos Teus planos podem ser frustrado”. Deus é soberano.
Se Deus é soberana ai você diz assim: Que bom! Vou sentar e cruzar os braços Deus é soberano, Ele estabeleceu e Seus planos não podem ser frustrado, então Ele vai cumprir. Esse será o seu erro se pensar assim sobre os planos e a soberania de Deus. A questão é: “Eu, você e todos nós estaremos incluído, ou estaremos excluídos nisso que Ele vai manifestar. Nós podemos estar do lado de dentro, como podemos estar de fora daquilo que Ele vai manifestar”.
Ai você vai dizer, como poderei estar de fora se Ele já habita dentro de mim e se eu já sou do senhor? a questão é que Ele tem falado ao nosso coração e nós temos resistido, endurecido o  coração ao Seu falar.
Em Efésios 4: 30, Paulo fala: “Não entristeçais o Espírito Santo no qual fostes selados”. Se nós não temos correspondido ao que o Senhor tem falado. Se nós não deixamos que a luz do Senhor penetre mais fundo dentro de nós sondando o nosso coração, nossos motivos, nossa intenções, formando Cristo em nós, despojando-nos de tudo o que é velho, de tudo o que não agrada o Senhor e não pertence ao Senhor, revestindo-nos do novo homem, se não dermos lugar para o Espírito Santo fazer isso, o processo não é compulsório. Irmãos não se iludam por amor da tua alma.
Não se iluda. Se você ficar sentado no teu ninho confortável, você vai ficar de fora. Nós precisamos responder ao Eterno |Propósito de Deus com tudo o que nós somos, Ele nos chamou para isso, SER CRISTO FORMADO EM NÓS.
O apóstolo Paulo viu isso de forma tão constrangedora, por isso se expressou daquela maneira no livro de Gálatas. “Meus filhinhos, bebezinhos em Cristo, eu estou sofrendo por vocês de novo”.  Por que de novo Paulo sofria por eles? Porque Paulo já tinha sofrida por ele quando os gerou em Cristo. Paulo os gerou quando ele entrou lá numa terra pagã onde ninguém conhecia o Senhor Jesus e ali ele pregou o Evangelho.
Gálatas 3 começa assim: “Ó Gálatas insensatos, quem vos fascinou a vós outro, ante cujo olhos foi Cristo exposto como crucificado”. Paulo entrou naquela terra pagã, pregou Cristo, sofreu ali por eles foram gerados de Paulo, uma mãe espiritual, daquele apóstolo tão querido. Ele gerou a eles em Cristo, só que agora ele estava sofrendo de novo porque ele gerou Cristo nele por meio de Evangelho, e os filhos não cresceram e não amadureceram. Então Paulo diz: “Meus filhinhos por quem sofro de novo dores de parto, até que Cristo seja plenamente formado em vós”.
Vamos parar com esta mensagem por aqui hoje, mas vamos manter essa oração nos nossos corações: “Que o Espírito Santo nos ajude e rasgue o véu para que entendamos o que significa: “CRISTO SER FORMADO EM NÓS”. Porque esse é o Eterno Propósito de Deus. No livro aos Colossences Paulo chega a dizer assim: “CRISTO EM VÓS = (Cristo FORMADO EM VÓS), ESPERANÇA DA GLÓRIA”. Em outras palavras isso quer dizer
Que Deus não poderá ser glorificado de nenhuma outra maneira, a não ser que Cristo seja formado em nós. Cristo em vós, a esperança da glória. Esse é o nosso chamamento.
            Irmão, se você está contente, fique descontente. Se você está quieto, fique inquieto, porque isso é benção. A águia faz o seu ninho no penhasco, forra o ninho com suas penas, quando ela quer despertar a sua ninhada do ninho para fazê-los  voar, porque eles são águias e tem a natureza de voar, eles não são galinha. Mas quem quer sair do ninho quentinho, forrado, comida na boca, mamãe caçando e trazendo alimentinho para eles. Ninguém quer sair desse ninho. Então, quando eles crescem, a águia arranca as penas que ela usou para forrar o ninho, e  aquele ninho começa a ficar desconfortável.
            Nós costumamos a interpretar as bênçãos de Deus bem diferente de como Ele interpreta. Quando Deus torna  o nosso ninho confortável em desconfortável, isso não é maldição, isso é benção. O Senhor está nos tirando de zona de conforto porque Ele nos deu a natureza Dele mesmo. Ele quer formar Cristo em nós. Ele quer nos fazer voar na altura daquele que nos chamou, até ser Cristo formado em nós. Por isso Ele tira as penas do ninho. Aquele lugar que antes era o melhor lugar do mundo, agora se tornou o pior.
            Então, aqueles filhotinhos de  águia que foram despertados pela mãe vão para a borda do ninho e pulam. Alguns daqueles filhotes morrem porque a águia mãe não consegue cuidar de todos. Alguns daqueles filhotes, em vez de voar, despencam do ninho para o penhasco e fatalmente morrem. Mas algumas outras começam a alçar vôo e se salvam. Deuteronômio 32: 10, compara Deus a essa águia. Uma águia que voeja sobre seus filhotes e desperta toda   ninhada que estava tão quietinha naquele  ninho confortável.
Essa expressão: “DESPERTAR NINHADA”, significa tirar o forro confortável do ninho. Por isso os filhotes pulam para fora do ninho, mas águia mãe fica sobrevoando e supervisionando. Quando aqueles filhotes desajeitados dão aquela primeira tentativa de vôo, alguns não voam, mas despencam. A mãe águia não consegue acudir a todos, mas ela  dá um vôo rasante, entra debaixo deles para ampará-los para que não se arrebentem. Com isso ela vai ensinando a cada um  a voar. Essa águia falha em socorrer alguns dos seus filhotes. Mas o nosso Deus ao despertar Sua ninhada como fez aquela  águia, Ele é fiel. A Sua ninhada ao ser despertada terá  todos os Seus filhotes socorridos por Ele, porque Ele está nos chamando para algo que toca o Seu coração e o Seu Propósito. Nós precisamos compreender essa figura do despertar da ninhada.
Que o Espírito Santo nos inquiete, que tire o conforto do nosso ninho. O Senhor não nos chamou para ficarmos sentados num banco de braços cruzados até que Ele volte. Mas Ele nos chamou agora para que Cristo seja formado em nós, e isso  seja objeto de assombro para os principados e potestades nas regiões celestiais. Isso precisa ser agora, não de qualquer maneira, mas segundo o eterno propósito que Ele estabeleceu em Cristo Jesus.
Que o Senhor nos ajude a avançar. A medida que fizermos isso, todos os demais assuntos relacionados a nossa vida serão tocados pelo senhor. A nossa família será ajustada. Nossa vida como pais e filhos será ajustada. Nossa vida como esposa e mãe será ajustada. Nossa vida como filho é ajustada. Isso é o que Efésios capítulos 4, 5 e 6 nos mostra. Quando tocamos o Eterno Propósito de Deus e avançamos em direção a Cristo ser formado em nós, o nosso Senhor se encarrega dos demais assuntos em relação a nós. A própria vida de Cristo vai sendo manifestada em nós. Esse é um maravilhoso chamamento.
O Senhor nos chamou, e nós deveríamos considerar esse chamamento e essas coisas aos pés Dele. Foi Ele quem nos chamou. Nós devemos dar uma  resposta a Ele em primeiro lugar, e não uns ao outros. Então vamos responder a Ele, pedir que rasgue o véu, que nos inquiete, que nos incomode para que obedeçamos ao nosso grande chamamento.

Oração:
Senhor, entregamos sinceramente e uma vez mais as nossas vidas a Ti. Colocamo-nos no Teu trono da graça. Desejamos ser mais uma vez despertado pelo Senhor. rasgue o véu Senhor nos dando entendimento espiritual para vermos o imenso chamamento que temos em Cristo Jesus. Para avançarmos até a plena varonilidade. A medida da estatura da plenitude de Cristo.  Para que não sejamos mais como meninos. Nós dependemos do Senhor para que opere isso em nós. E precisamos que o Senhor desperte respostas em nós, acolhendo a Tua Palavra e avançando para aquilo que nos tem conquistado. Obrigado porque o Senhor é Fiel e Misericordioso, mas Te pedimos que queremos ser responsáveis diante de Ti. Ajuda-nos Senhor, encoraja-nos. Nós Te pedimos agradecidos em nome do Senhor Jesus, amém.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário:

Facebook