Postagens

Versículo da semana:

VERSÍCULO DA SEMANA:
"E por que me chamais: Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu vos digo?" (Lucas 6:46)


Frase do momento

Frase do momento:

"Não é minha intenção atacar o denominacionalismo do cristianismo como errôneo. Eu somente quero dizer que para que o corpo de Cristo encontre uma efetiva expressão local, a base de comunhão deve ser verdadeira. E esta base é a relação de vida dos membros com o Seu Senhor e a sua desejosa submissão a Ele como o Cabeça. Tampouco estou pleiteando por aqueles que irão fazer uma seita carnal daquilo que poderia chamar de 'localismo', isto é, a estrita demarcação de igrejas por localidades. Porque tal pode ocorrer facilmente. Se o que estivermos fazendo hoje em vida se tornar amanhã um mero método, tal que seu próprio caráter alguns dos Seus forem excluídos, possa o Senhor ter misericórdia de nós e quebrar tudo!" (A Vida Normal da Igreja Cristã, capítulo 4. Grifo nosso)

11 de fev de 2012

Estudo sobre o livro de Romanos - Parte III

1  PAULO, servo de Jesus Cristo, chamado para apóstolo, separado para o evangelho de Deus. 2  O qual antes prometeu pelos seus profetas nas santas escrituras, 3  Acerca de seu Filho, que nasceu da descendência de Davi segundo a carne, 4  Declarado Filho de Deus em poder, segundo o Espírito de santificação, pela ressurreição dos mortos, Jesus Cristo, nosso Senhor, 5  Pelo qual recebemos a graça e o apostolado, para a obediência da fé entre todas as gentes pelo seu nome" 

Romanos 1:1-5 


Esta manhã estamos indo centrar-se no verso 5, e em particular as três frases: "a graça e o apostolado", "obediência da fé" e "por amor do seu nome." Vamos tentar ver a natureza da graça, como um livre e imerecido favor para o ministério, o efeito da graça em obediência à fé, e o objetivo final da graça na glorificação do nome de Cristo entre todos os povos.


Graça
Graça é uma realidade muito preciosa. Espero poder mostrar-lhe no livro de Romanos o que é e porque é tão preciosa. Essa palavra é usada 155 vezes no Novo Testamento - mais de 100 deles nos escritos de Paulo, e quase um quarto desses em Romanos (24 vezes). Você não pode compreender este livro se você não compreender a graça. Ela está no cerne do livro, no coração do evangelho e no coração de Deus. 


Hoje, eu acho que a maioria das pessoas diria que a palavra graça significa um belo movimento de uma patinadora no gelo. Ou talvez, eles poderiam dizer que graça é uma breve oração antes das refeições. E, em último lugar, talvez diriam que a graça é uma bondade imerecida. 

Mas qual é a realidade bíblica da graça? Vamos dar uma olhada em Romanos 1:5 e suas conexões. Observe que no verso um Paulo começou a se apresentar e falar de ser um servo de Cristo e da sua vocação como apóstolo e sua consagração para o evangelho de Deus. Então, nos versículos 2-4, ele fala sobre que o evangelho de Deus foi planejado muito antes de acontece, e que o evangelho é sobre o Filho de Deus, é sobre o cumprimento do Velho Testamento e é sobre a esperada chegada do Messias, o Filho de Davi, e é sobre o Cristo ressuscitado que saiu triunfante dos mortos como reinante Filho de Deus em poder.

Com essa imagem de um triunfante, grande, reino do Messias diante de nós, Paulo agora pode falar sobre a graça na sua base correta. Ele diz que no versículo 5, "através do qual recebemos a graça." Em outras palavras, a graça de Deus veio a Paulo por meio do Senhor Jesus Cristo, que nasceu como um filho de Davi e foi criado como Filho de Deus em poder. Podemos dizer, que a partir daí, Paulo escreve que a graça foi obtida por nós através da obediência e morte do Messias encarnado (Romanos 3:24-25; 5:18-21), e a graça é derramada através da ressurreto Filho de Deus. O versículo 5 diz claramente que Deus nos dá graça "através dele" referindo-se a "Cristo Jesus nosso Senhor" no final do versículo 4. 

Assim, a graça é uma realidade que vem de Deus, e vem através de Jesus e seu trabalho para nós. Não é algo que temos direito. Jesus obteve isso para nós. Nós podemos recebê-la livremente por causa da obediência e da morte de outro. 


Mas o que é Graça? 
Mas o que é isso? Bem, neste versículo ele está conectado com o ministério de Paulo, seu apostolado. "Com [Cristo] que temos recebido a graça e o apostolado." Aproveito para dizer que sua vocação como apóstolo era um dom da graça e que ele cumpria esse ministério com a força da graça. Assim a graça não é apenas uma clemência de Deus para o pecado de Paulo, mas é também o poder de modo a permitir que Paulo cumpra a sua vocação como apóstolo. 

Baseio isso no que Paulo diz sobre a relação entre graça e ministério nos capítulos 12 e 15. Por exemplo, em 12:6 Paulo diz: "De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé;" E em 12:3 ele diz: " Porque pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós...” Em outras palavras, a graça de Deus é favorável para diversos ministérios através dos dons que ele dá. Da mesma forma em 15:15 b-16, Paulo diz: "pela graça que por Deus me foi dada; Que seja ministro de Jesus Cristo para os gentios". Assim, concluo que quando ele diz em 1:5, "Através de quem recebemos a graça e o apostolado," ele quer dizer que Deus não só salvou o seu pecado, mas também lhe deu graça de ser um porta-voz autorizado do Filho de Deus ressuscitado em poder. 


Como nós recebemos Graça? 
Será que isso significa que ele deu em resposta para as boas obras de Paulo? Não. Paulo disse que estava separado para o evangelho antes de ele nascer (Gálatas 1:15, Romanos 1:1). Graça, então não é a resposta de Deus a nosso merecimento. Graça é um dom gratuito de Deus antes de fazer alguma coisa boa, e sua habilitação sobrenatural para fazer algo de bom. 

Por exemplo, em Romanos 4:04 Paulo diz: "Ora, ao que trabalha, seu salário não é creditada segundo a graça, mas segundo a dívida "(minha tradução). Em outras palavras, a graça não é o que você recebe quando você trabalha para alguém: é o que ele lhe deve. Graça nunca é uma dívida. É sempre uma bônus livre do excesso de bondade. 

Portanto graça é sempre recebida pela fé, e não ganho por obras. Você só pode receber a graça como um presente e reconhecer que se trata de um presente, você não pode trabalhar para ele ou ganhá-lo. Romanos 11:06 "Mas se é por graça, já não é pelas obras; de outra maneira, a graça já não é graça. Se, porém, é pelas obras, já não é mais graça; de outra maneira a obra já não é obra." Graça não seria graça se você ganhasse por suas obras. Nós recebemos graça através da fé. Apenas receba como um presente e confie nela.

É por isso que Romanos 4:16 diz: " Portanto, é pela fé, para que seja segundo a graça, a fim de que a promessa seja firme a toda a posteridade, não somente à que é da lei, mas também à que é da fé que teve Abraão, o qual é pai de todos nós,". Esta é a maneira de Paulo de dizer que a graça é absolutamente livre e não pode ser merecia. Quando a graça vem até você é por meio da fé.

Graça tem o seu próprio poder. É, na verdade, parte do o poder que se refere o versículo 4, onde Paulo diz que Jesus "foi declarado o Filho de Deus com poder, pela ressurreição dentre os mortos. " Graça não é apenas o perdão dos nossos pecados e misericórdia de nossa miséria, é também um poder divino que vem a nós através de Jesus absolutamente gratuita para uma questão de ministério. Paulo diz em Romanos 5:21: "Assim como o pecado reinou na morte, Mesmo assim graça reina pela justiça para a vida eterna, por Jesus Cristo, nosso Senhor "(tradução minha). Graça é o poder de um rei que "Reina" e leva poderosamente a vida eterna, por Cristo. 

Então vimos que a graça é um poder de Deus para o ministério (para Paulo apostolado). É grátis e não pode ser ganho ou merecido. É recebido como um dom da fé, não merecida pelas obras.


O Efeito da Graça 
Agora vamos ponderar as implicações disto por um momento - para Paulo e para você. Quando Paulo chama a si mesmo, no verso 1, de "Servo de Jesus Cristo" e um "apóstolo", isso significa que ele serve o Cristo ressuscitado como um apóstolo. Mas agora, a partir do versículo 5, nós sabemos um coisa absolutamente crucial sobre esse serviço que é dado e capacitado pela graça de Deus. Ele diz em Romanos 15:18 "Não pretendo falar de qualquer coisa, exceto o que Cristo tem feito por mim [que é o poder da graça], resultando na obediência dos gentios”. Paul serve a Cristo pela graça de Cristo que serve Paulo.

Eu quero gastar tempo com isso porque se você começar cedo, o livro de Romanos será aberto para você como uma flor. E se você não entender isso, o livro não fará sentido. Eu vou perder tempo com isso porque essa é a essência de como Deus irá trabalhar na sua vida. Deus quer que você leia o versículo 5 e coloque a sua vocação no lugar da palavra "apostolado".  
"Apostolado" era para Paulo, não é meu e não seu. Você pode colocar, "Por meio de Cristo eu recebemos a graça e o papel do ensino." Ou: graça para o cantando. Ou: a graça para o estudo. Ou: graça para a solteirice. Ou: graça para a viuvez. Ou: graça para maternidade. E o que você deve dizer é: Deus tem me dado livremente perdão e o poder de cumprir o meu chamado, e desempenhar o meu papel que eu recebo pela fé.

Não há um papel na vida que pode ser vivido da forma como Deus deseja se não houver habilitação da graça. Ser mãe piedosa ou ser um apóstolo é impossível sem o poder da graça. Assim, quando Paulo diz, em 1 Coríntios 15:10, que todo o seu trabalho apostólico é pela graça, coloque o seu chamado. 

Paulo é extremamente cuidadoso em exaltar a graça em sua vida. Nós devemos nos juntar a ele nisso. Isso se torna mais claro quando olhamos para as próximas duas frases em Romanos 1:5. 


"A obediência da fé"  
"Com [o Filho de Deus vivo ressuscitado em poder] recebemos a graça e apostolado para trazer à obediência da fé." Assim a graça não é recebida apenas pela fé, para gerar fé. Deus dá dons da graça, para sermos os seus instrumentos para se alcançar a "obediência da a fé”. Isto é o que eu chamo de efeito da graça. 

Agora, o que significa a frase "obediência da fé"? As duas principais opções são: a "obediência que provém da fé" (NVI), ou a obediência que é a fé, porque a fé é o que o Evangelho exige." Ambos estes objetivos (fé e obediência que provém da fé) são realmente os objetivos de Paulo no ministério. E é muito difícil decidir o que ele pretende focar aqui. 

Mas eu acredito como Leon Morris: Se Paulo queria dizer apenas "fé", porque usar duas palavras para dizer a mesma coisa? Em outras palavras, se Paulo quis dizer, "Nós recebemos a graça e o apostolado, para trazer a fé entre todos os os gentios," então por que complicar as questões e dizer, "a obediência da fé? " Acho que a resposta é que ele realmente quer que a gente não pense apenas da obediência da fé, mas também a obediência do amor que produz fé (1 Timóteo 1:5).  

Veremos no capítulo seis que Paulo se preocupa muito sobre a obediência cristã. E vamos ver no Romanos 9:32 que a obediência é "pela fé e não como se fosse por obras." E vamos ver no 14:23 que "tudo o que não provém da fé é pecado." Em outras palavras, na mente de Paulo, todos verdadeira obediência é fruto da fé. 

Agora, por que é isso? Porque é que toda a verdadeira obediência vem pela fé? Deus dá a graça como poder e habilitação para o serviço, que significa que a graça é o poder e a possibilidade da obediência. Então tudo é verdade obediência é feito no poder da graça, não no nosso poder.

Mas como é que nós recebemos e confiamos na graça? A resposta é "pela fé". Então você pode ver porque toda a verdadeira obediência é fruto da fé. É o fruto de fé, porque a graça de Deus é dada para que a obediência.  

Então o que temos visto até agora é que Deus quer ser o doador neste relacionamento. Deus quer ser gracioso. Deus quer ser a fonte e a fonte de nosso serviço e nossa obediência e do nosso ministério - se apostolado, ou pastor, ou estudante, ou mãe, ou qualquer outra vocação. Deus pretende ser a fonte de habilitação, capacitação, sustentando com a graça. Nosso trabalho é confiar nele e agir com confiança nele. Esta é a essência da vida cristã. 

Porque tudo dependente da graça mediante a fé? 

E a pergunta final é, por quê? Por que Deus decidiu fazer desta maneira - com tudo dependo de sua graça, mediante a nossa fé? E a última frase de Romanos 1:05 nos dá a resposta: "Pelo qual recebemos a graça e o apostolado, para a obediência da fé entre todas as gentes pelo seu nome" A meta final de Deus  é que o seu nome (ou o nome de Cristo, que é a sua imagem) seja conhecido e admirado e acarinhado e elogiado acima de todas as outras realidades. 

Romanos 9:17 diz assim: " Porque diz a Escritura a Faraó: Para isto mesmo te levantei; para em ti mostrar o meu poder, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra. " Ou seja, objetivo de Deus na história e em tudo o que acontece é que seu nome fosse conhecido e adorado. O versículo 5 diz que o objetivo do apostolado de Paulo é "por causa do nome" - que o nome de Jesus possa ser conhecido e amado e estimado e exaltado e glorioso.

Agora, é por isso que Deus faz a nossa salvação e o nosso ministério e a nossa obediência depender de sua graça, e fruto da nossa fé na graça - porque o doador recebe a glória. Se o nosso ministério e a nossa obediência é pela graça através da fé, então Deus recebe a glória e nós recebemos a ajuda necessária. Se Paulo se baseasse em si mesmo para servir como um apóstolo, e se o efeito de seu ministério era trazer à obediência das obras, e não a obediência da fé entre os gentios, então o nome de Cristo não seria elogiado, Paulo seria. 

O doador do poder, o facilitador da obediência, recebe a glória. Aqui é o caminho 1 Pedro 4:11 diz: "Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e poder para todo o sempre. Amém." Você vê claramente como Pedro faz a conexão: Deus recebe a glória para o nosso serviço se Deus dá a graça para o nosso serviço, e se servir é pela fé na graça, na força da graça e não na nossa força. 

Se Deus tem como objetivo a sua própria glória, Ele é um Deus amoroso?

A última pergunta que as pessoas costumam perguntar sobre esse ensinamento bíblico é se um Deus que visa a exaltação do próprio nome é um Deus amoroso. O livro de Romanos dá duas respostas para essa pergunta. Em primeiro lugar, em Romanos 10:13 Paulo diz: "Porque todo aquele que invocar o nome do SENHOR será salvo." Então, sim, é amoroso que Deus engrandeça o seu próprio nome e sua própria glória, pois todo aquele que invocar o nome será salvo. Se ele, não difundisse e exaltasse o seu nome como nossa única esperança, Deus não seria amoroso. 

E a segunda resposta é dada em Romanos 5:2 b, onde Paulo diz que enquanto estamos na graça da fé "exultamos na esperança da glória de Deus." Em outras palavras, a glória de Deus é a nossa esperança e nossa salvação e nossa exultação - a nossa alegria. Nós não apenas invocamos o nome do Senhor, para receber qualquer outra coisa. Exaltamos o nome do Senhor, para que tudo o que nos separa do Senhor seja superado pela graça de Deus e para termos acesso ao próprio Senhor. 

É esta - é ele - a meta de seus desejos? Se assim for, então o evangelho da graça fará sentido e você vai adotá-la. Se não, invoque o nome do Senhor para que ele abra os seus olhos para que veja a luz do evangelho da glória de Cristo, à imagem de Deus (2 Coríntios 4:4).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário:

Facebook